domingo, 7 de maio de 2017

ENCONTRO GERAL DE 2017

O nosso encontro geral em Viseu ( Maio de 2017) teve a participação de mais de 105 antigos alunos . Eis uma das fotos de grupo tirada pelo Isidro.

quinta-feira, 4 de maio de 2017

Combonianos celebram 70 anos de presença em Portugal

Os irmãos padres Sousa. O Pe. Rogério foi o 2º Comboniano português ordenado em 1959
A data oficial da chegada do primeiro missionário comboniano a Portugal é o dia 22 de abril de 1947. Neste dia, o P. Giovanni Cotta instalava-se em Viseu e, a partir dali, começou a lançar os alicerces de uma história que, hoje, conta já 70 anos.

Para celebrar esta efeméride, os combonianos portugueses organizaram uma semana de intensas actividades no Seminário das Missões, na cidade de Viseu, e em algumas escolas e paróquias da diocese de Viseu.

O P. Carlos Alberto Nunes, comboniano, narra-nos como decorreram as celebrações, nas quais, entre outras personalidades, participou também o P. Tesfaye Tadesse Gebresilasie, superior geral dos Missionários Combonianos. Veja as fotos aqui.



Uma semana de vida em Missão

Na semana de 24 a 30 de abril, nós, combonianos da província portuguesa, celebrámos os 70 anos da nossa presença, em Portugal. Para festejar este significativo evento da nossa história, organizámos várias actividades missionárias.

Distribuídos em várias equipas, formadas por combonianos, combonianas, seculares e leigos combonianos – como verdadeira Família Comboniana –, visitámos três escolas secundárias na cidade de Viseu, dois grupos de jovens paroquiais e vários lares de idosos. Organizámos encontros no Seminário das Missões para o clero diocesano, na manhã do dia 27, para os adultos e leigos empenhados missionariamente, na noite do dia 28, e para a juventude, no dia 29. O auge das comemorações teve lugar no domingo, dia 30, com a celebração solene da Eucaristia, presidida pelo D. Ilídio Pinto Leandro, bispo de Viseu, e concelebrada pelo P. Tesfaye Tadesse Gebresilasie, Padre Geral, entre outros combonianos e sacerdotes amigos. Para honrar a cerimónia, foram convidados numerosos benfeitores e amigos, e algumas individualidades, que vieram, em sinal de reconhecimento da obra comboniana, de entre as quais o Presidente da Câmara Municipal de Viseu, António Joaquim Almeida Henriques. A capela do seminário tornou-se demasiado pequena para acolher tanta gente.

Foi uma semana bela, cheia de entusiasmo e alegria que vivemos em celebração de Fé e missão. Houve boa participação dos alunos e professores nas escolas, nos encontros no Seminário e na celebração final de Domingo. O clima era de festa e alegria.

Notável foi o encontro da Juventude, no Sábado. Coordenado e organizado pela equipa Jovens em Missão (JIM) com a colaboração dos professores de Religião e Moral das escolas, distinguindo-se entre todos o professor Abel Dias.

Conseguiram-se reunir cerca de 400 jovens. A maioria deles são visitadores assíduos da comunidade de Taizé, que vivem e dão testemunho desse mesmo espírito, nas escolas e nas paróquias. Os outros estão ligados ao nosso movimento juvenil comboniano (JIM). O tema do encontro foi, por isso, uma combinação entre as espiritualidades de Taizé e do JIM. Anunciava-se chuva para esse dia. E o sol nasceu envergonhado, contudo brilhou todo o dia, como sinal de bênção de Deus para todos. Assim, com a ajuda do céu, foi uma grande festa juvenil, um dia histórico para o presente e o futuro do Seminário das Missões, fazendo lembrar os tempos em que estava a abarrotar de jovens seminaristas. Foi um dia de profecia, um dia de juventude e de alegria, um dia de esperança para a missão.

A semana foi também um tempo de colaboração e de bênção para toda a Família Comboniana. A chegada dos combonianos marcou o início de uma pequena história que, com o passar de 70 anos, se tornou grande. Basta ver que a Família missionária comboniana se faz presente em quase todas as regiões do País. Casas e actividades de Norte a Sul. Revistas, jornais e livros da editorial “Além-Mar” que chegam a todos. Uma Família comboniana que, embora não sendo perfeita, dá sinais de vida e de esperança missionária em território português. Claramente, o tempo dos Leigos em missão chegou também para nós em Portugal. O seu testemunho e trabalho são um desafio para todos e um chamamento à alegria, ao entusiasmo e à esperança.

Fonte: Comboni.org

terça-feira, 2 de maio de 2017

Mensagem do Superior Geral para os 70 anos dos Combonianos em Portugal

O Superior Geral dos Missionários Combonianos, P. Tesfaye Tadesse, deixou uma mensagem pelos 70 anos dos Combonianos em Portugal durante sua homilia numa missa realizada em Viseu.

“A celebração dos 70 anos de história comboniana, em Portugal, ajuda-nos a preservar a confiança no Senhor, que continua a incentivar-nos e a realizar coisas belas através da vida de cada um de nós e do nosso Instituto. Esperamos e rezamos para que o Senhor continue a suscitar novas vocações missionárias, na Igreja portuguesa, e continue a chamar jovens, homens e mulheres, para seguirem a Cristo, na esteira de São Daniel Comboni”, declarou o Superior Geral do Instituto.

A homilia também abriu espaço para muitos agradecimentos. Destacamos aqui o seguinte: “Obrigado pelos sinais particulares de vida e de compromisso ao longo de todos estes anos, tais como, por exemplo: a formação de tantos jovens nos seminários, no Postulantado e no Noviciado; a publicação das revistas Além-Mar e Audácia; a animação e a formação missionária de grupos de jovens - como o JIM (Jovens em missão); os Cenáculos de Oração Missionária; o empenho na pastoral paroquial, dando particular atenção aos mais vulneráveis e aos imigrantes, como é o caso, por exemplo, da nossa presença em Camarate; as atividades realizadas em colaboração com outros Institutos religiosos e missionários e com outras organizações civis e religiosas, empenhadas na promoção da justiça social e ambiental, da paz e da reconciliação, e do dialogo entre as diferentes culturas e religiões. Obrigado por estes e por todos os outros sinais que revelaram e revelam ainda o dinamismo e a criatividade do nosso trabalho, neste País de grande tradição missionária e de grandes missionários.

A celebração contou com a participação do Bispo de Viseu, Dom Ilídio Pinto Leandro, do Superior Provincial dos Missionários Combonianos em Portugal, P. José da Silva Vieira e de sacerdotes, religiosos e religiosas, leigos, benfeitores, amigos e familiares dos confrades combonianos.

segunda-feira, 1 de maio de 2017

VISEU - CELEBRAÇÃO DOS 70 ANOS

Das comemorações dos 70 anos em Viseu dos Missionários Combonianos dou algumas notas. A missa foi presidida pelo Bispo de Viseu, acolitada pelo Superior Geral, Ugandês de origem e vindo expressamente do Uganda e por outros missionários, nomeadamente António Ino, José de Sousa, Francisco Medeiros (superior de Viseu) e outros. Nela estiveram presentes individualidades de Viseu, nomeadamente o Presidente da Câmara, o Presidente da Assembleia Municipal, o Presidente da Junta e muitos amigos residentes na zona. No final o Presidente da Câmara ofereceu uma placa alusiva à entrada da Câmara Municipal, simbolizando a abertura desta entidade aos Missionários Combonianos. Destacou o facto de pretender apresentar numa próxima Assembleia Municipal uma proposta de atribuição da Medalha de Mérito aos Missionários Combonianos de Viseu, sendo a mesma entregue no dia do município de Viseu a ocorrer em setembro. Por sua vez o Padre Francisco Medeiros ofereceu à Câmara Municipal um exemplar do livro "Missionários Combonianos em Portugal, uma História Singular, editado já este ano e da autoria do nosso conhecido e estimado Padre Manuel Augusto Lopes Ferreira, Edições Além - Mar. O Superior Geral fez uma resenha histórica dos Combonianos. Segui-se um almoço com muitos convidados presentes. As duas primeiras fotos estão inseridas nos Linkes, https://novo.diocesedeviseu.pt/.../combonianos-70-anos.../ e https://novo.diocesedeviseu.pt/.../combonianos-70-anos.../ acompanhadas de um texto muito interessante e elucidativo de Valente da Cruz, ex-seminarista comboniano. Destaco finalmente um belo texto do padre Francisco Medeiros, Superior de Viseu. COMBONIANOS: 70 anos de presença em Viseu
É com gratidão a Deus e a tanta gente amiga com espírito missionário que celebrámos 70 anos de presença em Portugal. Tudo começou quando o Bispo de Viseu, nessa altura D. José Moreira Pinto, aceitou de braços abertos a vinda de Combonianos para a Diocese. O Instituto tinha sido convidado a ir evangelizar no Norte de Moçambique e a nossa diocese, em primeiro momento, serviria de apoio para os missionários estrangeiros aprenderem a língua, esperando naturalmente, que iriam aparecer também vocações missionárias.
Os Missionários Combonianos faziam um bom trabalho junto dos muçulma- nos e, como no Norte de Moçambique a maioria da população é muçulmana, os bispos moçambicanos pensaram pedir ajuda, o que conseguiram com a colaboração da Diocese de Viseu. A 23 de Abril de 1947, chegou a Viseu o P. João Cotta e, logo a seguir, vieram os padres Ângelo La Salandra, Ézio Sória, Rino Carlesi e os irmãos Elísio Locatelli, Igino Antoniazzi, Catarina Basso e outros que se estabeleceram nas paró- quias vizinhas da cidade, para aprender a língua e os costumes e iniciar a construção do Seminário das Missões.
Deste modo, a primeira metade da década de 1950 viu chegar ao nosso país os missionários de “pera e bigode” que protagonizaram a expansão comboniana em Portugal, Brasil e Moçambique. Muitos dos seus nomes ainda são recordados com respeito e admiração pelo clero e pelas gentes beirãs. Recordam os missionários a trabalhar nos andaimes, construindo o seminário ou a trabalhar na quinta e, mais ainda, quando iam pela aldeias pedindo ajudas ou despertando nos jovens a vocação missionária. Mais de 2000 jovens beirões fizeram parte dos seus estudos e educação no Seminário das Missões. E, entre estes, uns 50 depois de passarem por outros lugares a alargar a sua formação missionária. Alguns ainda estão em terras de missão, uns poucos já faleceram e alguns estão a descansar depois de uma vida dedicada ao anúncio de Cristo e a ajudar irmãos a ter uma vida mais digna e humana. O Instituto Comboniano faz também 150 anos de fundação. Seguimos o espírito de um homem, S. Daniel Comboni, que viu nos africanos seus Irmãos e Irmãs com o direito e a necessidade de conhecerem Cristo. Mal foi ordenado sacerdote começou a arrastar missionários e missionárias para a Africa, continente então muito desconhecido. O sonho dele foi educar e cristianizar africanos para eles serem os missionários de Cristo entre os seus povos. As missões ainda existem e chamam corações generosos para lhes levar Cristo, uma vida mais digna e humana, e a es- perança de um futuro melhor. A Família Com- boniana procura continuar a dar resposta ao apelo de tantos irmãos, como Cristo pediu aos seus seguidores: “Ide e fazei discípulos meus por toda a parte”. Muito em breve partirão aqui de Viseu duas jovens leigas missionárias para Africa e América do Sul.
Pe. Francisco Medeiros, mccj

(REPORTAGEM DO ANTIGO ALUNO COMBONIANO José Lázaro)

sexta-feira, 28 de abril de 2017

Combonianos 70 anos em Portugal: Os primeiros passos

Estava em Viseu um só comboniano italiano, o Pe. João Cotta, desde 22 de Abril de 1947. Com a chegada, a 3 de Novembro daquele ano, de mais três sacerdotes, os combonianos formaram a primeira comunidade em Viseu. Eram todos padres: João Cotta, Ézio Imoli, Ângelo La Salandra e Rino Carlesi.

Dias depois, o bispo senhor Dom José da Cruz Moreira Pinto nomeou-os para trabalhar nas paróquias de Mangualde (P.e Ezio Imoli), Bodiosa (P.e Rino Carlesi) e Canas de Sabugosa (P.e Ângelo La Salandra).

O P. Rino Carlesi, que viria a ser bispo de Balsas, no Brasil, descreveu as primeiras ações apostólicas na diocese de Viseu: «Conheci e fiz amizade com todos os padres de Viseu e redondezas, por causa dos funerais, da pregação, das festas religiosas. Foi o começo da minha vida de cigano, de animação missionária nas paróquias. Depois o senhor bispo levou-me, como seu missionário, para pregar ao povo nas visitas pastorais. Fui pescador de vocações e pregador de missões.»

Em Janeiro de 1948 o grupo alugou uma casa em Viseu e começa a arranjar-se a casa do caseiro.

O segundo grupo de combonianos italianos (um sacerdote e dois Irmãos construtores) veio em Março de 1948.

Passaram pelo Seminário Menor de Fornos de Algodres. No diário da viagem deixaram a seguinte impressão: «Ajoelhámo-nos aos pés da imagem de S. José, no claustro interno do Seminário sentindo tantos motivos para agradecer; pensámos nos nossos futuros seminaristas e agradecemos a S. José por nos ter trazido a esta terra tão rica de vocações.»

A 14 de março, na igreja matriz da paróquia de Ranhados (à qual pertencia a quinta onde se instalaram os combonianos), a chegada deste grupo foi celebrada festivamente com uma eucaristia. Os Combonianos cedo se inseriam na sua comunidade paroquial.

A 1 de junho de 1948 foi lançada a primeira pedra da casa (hoje «casa velha»), com técnicas muito avançadas. O edifício está pronto a habitar em 28 de Junho de 1949. Menos de dois meses depois, a 14 de Agosto, é inaugurada a primeira capela.

Nessa altura, a 27 de Fevereiro de 1949, o P.e João Cotta, que fizera «milagres», com o grande apoio do Bispo de Viseu, D. José da Cruz Moreira Pinto, nos 22 meses em que nesta diocese permaneceu, de 23 de abril de 1947 a 27 de fevereiro de 1949, já havia partido para a Inglaterra.

Em Maio daquele ano, durante a Semana Nacional das Missões, são distribuídos pela diocese 250 cartazes que dão a conhecer o futuro Seminário das Missões e o Instituto Comboniano. Estavam decorridos dois anos cinco meses e dezassete dias depois da chegada do P. João Cotta a Viseu…

A 10 de Outubro daquele ano de 1949, e após uma semana de estágio em Setembro, iniciava-se o 1º ano letivo no Seminário das Missões com 16 alunos no primeiro ano e um no 5º ano, vindo do Seminário Diocesano.

Se no final de 1952 o Seminário atual já estava construído, só em 11 de Dezembro de 1955, ao terminar da nova Capela, foi considerado completo, oito anos sete meses e dezanove dias depois da chegada do primeiro comboniano a Viseu.

Os primeiros combonianos portugueses

Os primeiros sacerdotes combonianos portugueses, tinham passado pelo Seminário Diocesano.

O P. Rogério Artur de Sousa, natural de Sargaçais, Soito, Aguiar da Beira, que, depois de ter feito o seu noviciado e a teologia em Itália, foi ordenado pelo Senhor D. José da Cruz Moreira Pinto , na Igreja do Seminário das Missões em Viseu a 27 de Julho de 1958.

O P. Ramiro Loureira da Cruz, natural de Barbeita, Rio de Loba, Viseu, fez também o noviciado e teologia em Itália e foi ordenado sacerdote na Catedral de Milão pelo Cardeal Montini (futuro Beato Paulo VI) a 14 de Março de 1959.

O primeiro Irmão Missionário Comboniano Português foi o Irmão António Martins, natural de Cepões, Viseu, que fez a sua Profissão perpétua em VN de Famalicão a 9 de Setembro de 1960.

Ao longo destes 70 anos a diocese deu muitas vocações aos missionários combonianos.

Prof. Valente

domingo, 23 de abril de 2017

UMA HISTÓRIA SINGULAR - Apresentação

No próximo dia 4 de Maio vai ser apresentado em Lisboa,pelas 18.30, na sede da ALÉM-MAR, o livro da autoria do Pe. Manuel Augusto Lopes Ferreira sobre a história dos 70 anos da presença comboniana em Portugal com o sugestivo título " UMA HISTÓRIA SINGULAR".
Como bem se recordam, nós tivemos a dita de no encontro do ano passado ouvirmos um pouco do que nessa altura o Pe. Manuel Augusto já tinha escrito.
Nós fazemos parte dessa narrativa. Daí que seja um livro a termos connosco para ler e reler. O Pe. Manuel Augusto convida todos os que residem em Lisboa a estarem presentes no seu lançamento.
Não se esqueçam: dia 4 de Maio.
Trancrevo a carta onde o Pe. Manuel Augusto manifesta esse convite:

Estimado amigo Isidro,
Um abraço, com votos de feliz Páscoa e felicidades para si, sua esposa e família.
Venho pedir-lhe um favor.
No dia 4 de Maio, pelas 18.30, na sede da Além-Mar, vai ter lugar em Lisboa a apresentação do livro sobre a História dos Combonianos em Portugal (Combonianos em Portugal: Uma Historia Singular).
Eu gostaria de mandar um convite aos antigos alunos que vivem em Lisboa. Não poderia mandar-nos a lista dos AA residentes em Lisboa de que tenha os endereços email? Se for possível seria bom, senão paciência.
Desde já, o meu obrigado.
De novo, felicidades e até breve.
Pe Manuel Augusto

sexta-feira, 21 de abril de 2017

Livro: A história dos 70 anos da presença comboniana em Portugal

"...Assim, revisitar a história da província portuguesa dos Missionários Combonianos do Coração de Jesus não é tão-pouco embandeirar em arco, pavonear-se no passeio das vaidades.

É celebrar o passado por inteiro, com as suas luzes e sombras, com a sua graça e pecado, com as conquistas e as derrotas para nos inspirarmos e ousarmos caminhos novos de animação missionária, pastoral vocacional de rosto comboniano e governo com a mesma audácia inovadora, generosa, alegre, inserida e próxima dos que nos precederam.

O meu muito bem-haja reconhecido ao P. Manuel Augusto Lopes Ferreira por ter aceitado o convite do Conselho Provincial para aprofundar e escrever a história dos 70 anos da presença comboniana em Portugal..."